...A pontuação é a respiração da frase e minha frase respira assim. E se você me achar esquisita, respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar! ...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

EU SOU ELEGANTE

Já conheci várias pessoas, convivi com pessoas em muitos lugares e ocasiões, e você também né? Algumas me proporcionaram alegrias,saudades e outras me fizeram escrever esse texto. *
Algum tempo atrás conheci uma pessoa que me fez admirá-la muito, era inteligente,culta,determinada,admirava ela porque ela falava outra língua,conhecia vários lugares,sabia das notícias, era bastante informada em tudo,e o que eu mais admirava era a maneira de como ela sabia tantas coisas sobre moda.Sabia ousar,combinar e se destacar.Eu me encantava com sua experiências.Achava ela "elegantérrima"! * Me admirava vê-la distinguindo ao longe a autenticidade de uma marca de bolsa com tanta precisão. Quando ela me mostrou sua coleção de acessórios fiquei perplexa ao ver tantas cores e estilos tudo para serem usados e combinados de acordo com a roupa e ocasião. Sempre fui muito básica em tudo,a começar pelo visual. Nunca dei muita importância com combinações de roupas,sapatos e acessórios. Na mesma época eu trabalhava junto com outra pessoa, que eu também admirava por ser uma pessoa bem resolvida, uma história de vida bastante cheia de experiências, também falava outra língua,enfim me parecia ser confiável. Com o passar do tempo,logo percebi que faltava nas duas algo imprescindível que é determinante em uma pessoa: A elegância do comportamento e de se relacionar com as pessoas. Ambas sabiam usar corretamente as palavras e talheres, porém não sabia como usar as 3 palavrinhas mágicas que a gente aprende quando criança: Com licença,Por favor e Muito obrigado. Eram elegantes e inteligentes,mas faltavam a elas a elegância diária de serem admiradas ao se relacionarem com as pessoas comuns. Elas só eram cordiais e educadas com os chefes,ou com pessoas que as elogiavam ou as favoreciam em algo. Elas criticavam e fofocavam mais do que falavam,falavam mais do que escutavam,conjugava mais o EU do que o NÓS, ,espalhavam pequenas fagulhas de maldades e esperavam o fogo se alastrar,era perceptível a mudança de voz e de conduta a cada pessoa e a cada situação Elas eram cruéis com as pessoas que possuíam algo diferente ou mais que elas,principalmente com aquelas que eram novatas.Pior ainda se fossem bonitas,essas sofriam dobrado com as maldades das duas. As duas sentiam prazer em determinar seu espaço,em humilhar,em se fazer notar por suas capacidades de serem melhores em tudo. Eram deselegantes quando evitavam o desconhecido.Quando não sabiam algo e não podiam humilhar alguém. Quando não se arriscavam em tentar reconhecer no próximo um sentimento de respeito ou admiração. Quando faziam valer suas vontades. Quando ocupavam espaços demais nas reuniões em grupo. Quando deixavam de colaborar para que o serviço acabasse no tempo determinado pela empresa. Quando a ganância de fazer mais horas extras era revelada no intuíto de ganhar mais que os outros. Quando a falta de alguém era denunciada ao chefe como um ato de preguiça e não de precisão. Quando elas faziam questão de expor a todos algo que elas tinham feito e qualquer favor já era motivo de um grande sacrifício. Eram deselegantes quando alguma de suas vontades impostas eram rejeitadas. Quando elas enumeravam suas experiências profissionais e amorosas. Quando elas não retribuíam cumprimentos ou sorrisos. Quando não estendiam as mãos para saudar novas funcionárias. Ambas possuíam grandes capacidades, mas não as usavam em solidariedade a ninguém. Muitas vezes observei as duas tentando copiar gestos e sorrisos de outras pessoas,elas não possuíam a elegância do gesto delas mesmas. Dos livros lidos, uma delas não aprendeu a ter uma visão generosa das pessoas, e dos milhares de relacionamentos que a outra fazia questão de enumerar, não recebeu a lição da elegância afetiva, que respeita e elogia.Elas tinham que ser melhor do que os outros em tudo. Faltava a ambas a elegância da gentileza em suas atitudes,a elegância de compartilhar espaço de trabalho,de abrir uma porta,de se unir aos outros para realizar junto um trabalho,de aprender com o outro um novo jeito de trabalhar,de encarar mudanças. Depois de perceber tudo isso, meu encanto por elas acabou. De início fiquei bastante chateada, porque tentei fazer valer alguns conceitos visto de início quando as conheci. Mas prevaleceu a ausência de valores que acho necessário para alguém ter minha amizade. Era impossível conviver com alguém com essas ausências.Me afastei, trabalhei mais um tempo com elas e me demiti,era muito difícil aguentar conviver com elas me obrigando a admirá-las, e mais difícil ainda era presenciar suas atitudes comigo e com as outras funcionárias. "Um saco de laranja,se tiver uma laranja podre,apodrece todo o resto." Tive medo de me contaminar. Ambas só possuíam a elegância de objetos materiais e só conheciam o uso desses. Fui mais elegante, não mudei meu estilo tentando me adaptar ao delas. Optei em sorrir para combinar com o sorriso oferecido das outras amigas. Me fez um bem enorme e combinou com tudo. Foi então que percebi que elegância verdadeira EU POSSUO, pois respeito o meu próximo! *As duas de início se estranharam, mas depois de um tempo se tornaram " amigas", se reconheciam uma na outra.Mas como duas bicudas não se beijam, elas elegantemente se suportam e até hoje trabalham juntas difamando uma a outra pelas costas.

9 comentários:

  1. Menina,

    Conheço muita gente assim.
    Pelo que leio aqui, posso te pedir: não muda não.
    Adoro seus posts.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  2. Nilce querida!
    Seu carinho me faz acreditar que amizade boa é aquela que não nos cobra nada!
    Obrigado por sempre estar aqui!!!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo!

    Um post para passar pelo menos a semana toda refletindo sobre.

    Realmente, a verdadeira e mais significativa elegância tem poucas e simples, porém as mais eficientes formas de ser manifestada.

    ResponderExcluir
  4. Vixeeeeeeeeeee não foram "adestradas" qdo pequenas, tadinhas... brincadeiras à parte, uma pessoa educada é tão bonito de se ver, a pessoa brilha e é leve, ela atraí pessoas para perto de si! Bjinhos da madrasta!

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Obrigada pela visita.
    Participe do blog
    http://cerezasdetul.blogspot.com
    Esse blog gosta de meninas de outro país.
    Que bom que deixou essas melecas de lado.
    Beijo...
    Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Frô, seja sempre muito bem vinda ao meu cantinho, e muito obrigada pela dica e link sobre o uso da máquina. Valeu demais mesmo. ;o)
    Essa semana mesmo darei um jeito de lubrificá-la.
    E faça a farofinha, com certeza vão amar, fica tudo de bom mesmo. ;o)

    Quanto ao texto, é isso, as pessoas esquecem que o faz mal não é o que entra pela boca, mas sim o que sai dela.

    Xerinhos
    Paty

    ResponderExcluir
  7. Muito difícil conviver com pessoas tão vazias de sentimentos não é mesmo amiga?Eu também,jamais conseguiria e delas quero distância
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Estas pessoas deviam existir só nos fiilmes e novelas. Pena que existem de verdade. Mas em compensação existe criaturas lindas por dentro e por fora e que dá vvontade de copia-las.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  9. Oi Lilian, vim agredecer suas palavras lá no meu blog e conhecer o seu...puxa esse seu post está maravilhoso! Como conheço gente assim...o pior é que elas não se "vêem" assim...acham que são umas ladies e os outros os ogros...ai, fujo de gente assim...suga tudo o que a gente tem de bom e cospe maldade e destruição por onde passa...ótimo texto, super bem escrito! Gostei muito do seu blog e estou te seguindo. Grande beijo e obrigada por seu carinho.

    ResponderExcluir

Fico feliz com sua visita e seu comentário.Ter você aqui é ter sua presença em forma de palavras!
E ai? O que você tem pra me dizer? Vamos prosear? e que importância tem se as palavras forem repetidas? Só de você estar aqui já me faz feliz!